MEIs e microempresas terão crédito on-line liberado em 7 dias | ACIRP


25/07/2020

MEIs e microempresas terão crédito on-line liberado em 7 dias

 


Parceria entre Sebrae-SP e fintechs oferece condições facilitadas, sem exigência de garantias e com taxas de zero a 0,7% ao mês a pequenos negócios, inclusive produtores rurais, que sofreram impactos da pandemia


Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O Sebrae-SP se uniu às fintechs BizCapital e Nexoos para viabilizar o Programa de Crédito Retomada, iniciativa que reúne tecnologias inovadoras para fazer os recursos chegarem mais rápido para pequenos negócios em busca de financiamento. O programa prevê condições facilitadas, com carência de seis meses, prazo de pagamento de até quatro anos e taxas de juros de até 0,7% ao mês.

Criado para ajudar o pequeno empreendedor na superação dos impactos causados pela crise da covid-19, a expectativa é atender, na primeira fase, cerca de três mil empresas, com desembolso total de R$ 50 milhões. Todo o processo de solicitação do empréstimo é feito on-line, sem burocracia e sem exigências de garantias.

LEIA MAIS:  Dinheiro tem, mas crédito não chega aos pequenos negócios. Entenda os motivos

Pesquisa recente do Sebrae mostrou que 87% dos pequenos negócios registraram queda de faturamento mensal por conta da pandemia. Uma crise como essa muitas vezes coloca em risco o trabalho e esforço de anos do empreendedor, destaca o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit.

"Por isso, unimos forças para levar crédito acessível e orientação para o pequeno empreendedor e mostrar que ele não está sozinho. Vamos estar ao lado dos empreendedores e apoiá-los de forma urgente, efetiva e desburocratizada para sobrevivência no contexto da crise”, afirma.  

COMO VAI FUNCIONAR

A operação do Programa de Crédito Retomada será feita pelas fintechs, e o Sebrae-SP vai atuar como orientador. Todos os participantes do programa serão acompanhados por especialistas, por meio de consultorias individuais e encontros coletivos remotos. “Vamos agregar todo o nosso conhecimento em educação empreendedora para avaliar o uso do crédito e ajudar na busca de soluções para a sobrevivência e evolução do negócio”, afirma Wilson Poit.  

O programa é voltado para os Microempreendedores Individuais (MEI), Produtores Rurais e Microempresas (ME) com sede no estado de São Paulo, criadas há mais de 12 meses, e com necessidades de recursos para amortecer os impactos da crise.  

Os MEIs e Produtores Rurais terão acesso a até R$ 20 mil, com juro zero. Já as Microempresas terão um limite de até R$ 60 mil com taxas de 0,35% a 0,7% ao mês. O pagamento terá carência de seis meses. No total, o empreendedor terá de 36 a 48 meses para quitar o valor emprestado.  

Além da parceria com as fintechs, o programa prevê a participação das adquirentes, maquininhas de cartão de crédito, na concessão dos empréstimos, aproveitando a capilaridade e o relacionamento com os pequenos negócios. 

O valor poderá ser usado para capital de giro, pagamento de salários atrasados, de contratos e aluguel, dentre outras necessidades atreladas ao negócio do pequeno empreendedor.

O crédito será liberado em duas parcelas e, será necessário comprovar o uso dos recursos no próprio negócio. Os interessados no programa podem se cadastrar no site do programa. 


FOTO: Thinkstock